Minas Gerais registra queda de 27,5% em roubos a comércio

Dados são dos oito primeiros meses do ano e também mostram roubos em geral com quase 10% de redução

As ocorrências de roubos a estabelecimentos comerciais caíram 27,5% no Estado nos oito primeiros meses do ano, o que significa 3.726 ocorrências a menos. De janeiro a agosto de 2017 foram 9.780 registros contra 13.506 no mesmo período de 2016. Em Belo Horizonte, a diminuição desta modalidade alcança 31,9%, com 1.859 registros contra 2.730.

A redução nas estatísticas de roubos a estabelecimentos comerciais acompanha a tendência dos roubos em geral. No acumulado de janeiro a agosto deste ano, a estatística bate mais uma vez o menor índice dos últimos seis anos, com 9,6% de redução na comparação com o mesmo período do ano passado (ver quadro abaixo).

Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Sérgio Barboza Menezes, a queda expressiva dos índices de crimes contra o patrimônio em geral tem relação com novas estratégias desenvolvidas, como a maior presença e ostensividade policial nas ruas.

Ele cita, como exemplos, as áreas comerciais de bairros como o Buritis, ou de cidades do interior como Santa Luzia que, ao longo de 2017, passaram a conviver com mais policiais nas ruas, em dias e horários diferentes.

Vale lembrar que o aumento da presença policial acontece desde o início do ano e foi aumentada, ao final de agosto, com a implantação de 86 Bases Móveis da Polícia Militar em todas as regiões de Belo Horizonte.

Desde então, nenhum morador da capital fica a mais de quatro quilômetros de um ponto fixo da PM.  Os dados divulgados nesta quarta-feira (25/10) ainda não trazem o resultado desta nova ação do Governo.

Para o Comandante Geral da Polícia Militar, Cel. Helbert Figueiró de Lourdes, os dados ratificam uma interrupção histórica do crescimento criminal no Estado de Minas, que vinha em ascensão nos últimos seis anos.

“Os resultados positivos são consequência da adoção de diversas estratégias, focadas na prevenção e repressão criminal, aliadas também a medidas internas de reestruturação da corporação”.

Já o superintendente de Investigação e Polícia Judiciária, Delegado-Geral Márcio Lobato, complementa destacando que houve uma mudança no foco das ações da Polícia Civil, o que culminou em um resultado positivo para a sociedade.

“A Polícia Civil vem intensificando suas ações, coordenando informações e trabalhando com técnicas investigativas avançadas de inteligência para coibir os crimes patrimoniais que são graves e atingem diretamente à população”.

FONTE: AGÊNCIA MINAS

Facebook Comments