Terceirização da coleta de lixo é necessária para otimizar serviço

Novos caminhões compactadores, mais modernos e adaptados às
necessidades do Município, começaram, no dia 20 de julho, quinta-feira, a ser
utilizados para o recolhimento dos resíduos sólidos nas áreas urbana e rural de
Itaúna. Os veículos reforçam a proposta do Governo de melhorar a coleta e
destinação do lixo. Foi com esse objetivo que a administração decidiu
terceirizar os serviços.

O atual modelo está sendo implantado seis meses após o início da nova
gestão, tempo necessário para avaliar o sistema anterior e propor o
aperfeiçoamento do trabalho, atendendo às demandas da sociedade.
O SAAE também analisou o impacto do antigo modelo de coleta sobre o
orçamento. A efetivação dos coletores, por meio de concurso – que era uma
necessidade jurídica – impactaria os cofres do Instituto Municipal de
Previdência – IMP, a médio e longo prazo, visto que os índices de
requerimento de aposentadoria e auxílio-doença são altos entre a categoria,
devido às exigências físicas do trabalho. Além disso, o chamamento por
processo seletivo não contempla a participação de todos os interessados. “Na
última seleção realizada pelo Município, 14% dos inscritos foram
desclassificados por não possuírem alfabetização comprovada, o que é um
critério estabelecido pelo edital”, disse Samuel.
Transparência
O novo contrato é de R$ 359 mil/mês. O valor é superior aos gastos para
manutenção dos serviços pelo Município. Porém, diante da impossibilidade de
realizar um novo processo seletivo para contratação de servidores, o SAAE
não tinha alternativa, senão terceirizar os serviços.
Para transferir a gestão do lixo à iniciativa privada, o Município aderiu a uma
ata de registro de preços da Associação de Municípios do Rio das Velhas e
contratou uma cooperativa de pessoas jurídicas – Coopertur – por seis meses,
período que terá para elaborar um edital de licitação que contemple as
especificidades de Itaúna.
Equilíbrio financeiro
O gestor afirmou ainda que o equilíbrio financeiro está garantido. “Os novos
custos não causarão déficit, uma vez que o SAAE remanejou gastos para
continuar prestando todos os serviços que são de competência da autarquia. A
economia com as despesas internas otimizou a aplicações de recursos”,
finalizou.
FONTE: PREFEITURA DE ITAÚNA

Facebook Comments