Bancos terão que instalar película para evitar assalto

Instituições deverão ainda manter câmeras e vigilantes nas áreas de autoatendimento

Agências bancárias e instituições financeiras de Belo Horizonte precisarão utilizar película fumê ou adesivo perfurado nas portas e paredes voltadas para a rua. A determinação virou lei e foi publicada no último sábado no “Diário Oficial do Município” (“DOM”). A multa para o descumprimento é de R$ 10 mil. A legislação ainda precisa ser regulamentada pelo Executivo.

Segundo o autor da lei, o vereador Reinaldo Gomes (PMDB), a nova regra prevê ainda a manutenção de câmeras de segurança e vigilantes nas agências de maneira que permita a visualização integral do espaço onde estão os terminais de autoatendimento.

As câmeras e os vigilantes devem ser mantidos inclusive em horários fora do expediente e nos dias em que os bancos não abrem. “Com um vigia, a pessoa (criminoso) não vai se atrever a entrar dentro do banco”, explicou o vereador.

Para o major Flávio Santiago, chefe da sala de imprensa da Polícia Militar (PM), o uso de insulfilm nas portas dos bancos pode mascarar a ação de criminosos. “A película impede que as pessoas do lado de fora vejam o que está acontecendo lá dentro”, explica. Na opinião dele, até policiais podem passar pelas agências e não perceber se está acontecendo crimes no interior.

Bancos. A Federação Brasileira de Bancos (Febrabran) não comentou sobre a legislação aprovada em Belo Horizonte. Em nota, a entidade informou apenas que os bancos devem seguir a Lei Federal 7.102/1983 e sua regulamentação. Essa lei estabelece que os bancos são obrigados a submeter à Polícia Federal um plano de segurança para que possam funcionar.

O projeto é elaborado por equipes técnicas e profissionais que analisam todas as características de cada ponto de atendimento. Os equipamentos da agência, como caixas eletrônicos, só são instalados depois que o plano é aprovado.

FONTE: O TEMPO

Facebook Comments