MG cria programa de iniciação científica para jovens

Serão investidos, por meio de parcerias, R$ 750 mil; objetivo é reduzir a evasão escolar

Cerca de 60 mil estudantes que ingressam no ensino médio público de Minas Gerais abandonam o curso antes de chegar ao fim. Ao todo, 8,8% dos matriculados não saem das instituições com um diploma. O número, revelado pelo Censo Escolar 2015, é um dos principais motivos para a criação do projeto Iniciação Científica no Ensino Médio, lançado nessa terça-feira (6) pela Secretaria de Estado de Educação.

Nos próximos meses, 3.452 estudantes e cerca de 300 professores de 221 escolas estaduais serão contemplados com bolsas de iniciação científica e terão a oportunidade de realizar pesquisas em diversas áreas do conhecimento. Para o Estado, o incentivo pode diminuir a evasão escolar.

“Muitas vezes, o estudante só tem a oportunidade de vivenciar uma pesquisa quando entra na educação superior. Agora, ele vai experimentar isso já no ensino médio”, afirmou a secretária de Educação de Minas Gerais, Macaé Evaristo.

A primeira etapa do projeto tem previsão para início em setembro deste ano e terá duração de 10 meses. Os estudantes serão divididos em grupos de 12. Cada grupo será monitorado por um professor orientador. Os alunos receberão uma bolsa de R$ 100, e os professores serão remunerados em regime de extensão de carga horária.

O projeto é feito em parceria com a Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), que fornecerá uma bolsa de R$ 1.200 para pesquisadores do campo científico universitário acompanharem o desenvolvimento dos projetos. O Instituto Unibanco e as associações Ação Educativa e Observatório de Favelas darão suporte às pesquisas, monitorando os projetos, realizando cursos preparatórios para os professores cadastrados e financiando a primeira etapa do programa, quando serão investidos R$ 750 mil.

Para concorrer às bolsas, os professores devem inscrever os projetos em um edital, a ser lançado pela secretaria.

FONTE: O TEMPO

Facebook Comments