Após perseguição intensa, “Julinho Capeta” é preso em Divinópolis

No dia 26 de abril, por volta das 01h35min, durante realização de ponto-base no posto gentil, bairro nossa senhora da conceição, os militares receberam informações via rádio de que uma viatura do turno deparou com um veículo Honda Civic com os faróis apagados, em atitudes suspeitas, no cruzamento da rua Goiás com rua Itambé, bairro Ipiranga.

Um dos indivíduos foi reconhecido pelo motorista da viatura, tratava-se de um individuo conhecidos dos meios policias por “Julinho Capeta”, que estava na condução do veículo.

(Foto: Divulgação PMMG)

Os policiais viram também que no interior do veículo havia uma mulher no banco do passageiro e no banco de trás um indivíduo desconhecido.

Foi dada ordem clara e legal de parada, contudo, este desobedeceu e empreendeu fuga.

De imediato foi acionado o cerco e bloqueio sendo que o veículo conseguiu evadir em fuga por diversos bairros da cidade em alta velocidade.

Durante a perseguição o autor efetuou disparos de arma de fogo contra as guarnições, sendo revidado pelos militares.

Em outros momentos, quando as viaturas policiais se aproximavam o autor acelerava, jogando o veículo em cima e contra as viaturas policiais.

Após longa e intensa perseguição pelas outras viaturas do turno, o veículo Honda Civic estourou o pneu e em seguida o condutor abandonou o veículo e correu pela rua, vindo a pular o muro de um lote vago e se escondendo em meio ao matagal, sendo localizado e preso em flagrante delito pelos militares.

O autor apresentava resistência ativa estava violento e a todo momento ameaçava os policiais e demonstrava intenção de agredi-los, negando-se a passar pela busca pessoal e a ser conduzido.

Todos os ocupantes do veículo foram presos e conduzidos a delegacia policial. O veículo Honda Civic abandonado no local da prisão foi apreendido e removido para o pátio credenciado.

O autor “Julinho Capeta” durante toda a ocorrência ficou alterado, ameaçando, desacatando e tentando agredir os policiais militares.

Não acatava nenhuma ordem legal que lhe era dada. Ficou se debatendo na viatura e após ser colocado na cela da delegacia tentou quebrar o portão e ficou causando tumulto, danificando a grade (patrimônio público).

 

Facebook Comments